Competitividade

Competitividade

O foco no “competidor global” requer a atenção permanente a três condicionantes básicos da competitividade, quais sejam
  1. preço,
  2. qualidade, no sentido, principalmente, da satisfação do cliente ou consumidor, e do atendimento a exigências técnicas e
  3. prazo de entrega, desde o fechamento do pedido até a plena disponibilidade do produto ao seu cliente (lead time)

A atenção a esses condicionantes, para assegurar permanentemente o fortalecimento da competitividade, exige:

  1. a redução contínua dos custos de produção, comercialização e logística, para que se formem preços competitivos na prateleira do cliente;
  2. a agregação contínua de valor ao produto exportado, conferindo-lhe não apenas mais qualidade, mas também outras características, como serviços de pós-venda, e
  3. a redução contínua de tempos de atendimento a pedidos, envolvendo o seu processamento, a produção e a distribuição física do bem a ser exportado, cabendo ressaltar o impacto dessa condição no nível de estoques do cliente e, por conseguinte, nos seus próprios custos logísticos.

A busca por ganhos de competitividade de produtos “made in Brazil” em mercados externos envolve, principalmente, ações em nível do Governo Federal, bem como em nível do produtor com potencial de exportação e do exportador que deseja expandir seus negócios em outros países.

As primeiras ações referem-se, por exemplo, à negociação de acordos comerciais pelo País ou pelo Mercosul, compreendendo as condições de acesso a mercados, regras de origem de produtos e preferências tarifárias. A entrada em plena operação do Portal Único de Comércio Exterior e a ampla habilitação de Operadores Econômicos Autorizados (OEAs), certamente, deverão contribuir para tais ganhos. Trata-se de ações a serem desenvolvidas por órgãos governamentais, em especial o Ministério das Relações Exteriores, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e a Secretaria da Receita Federal, em estreita articulação com entidades empresariais.

Já em nível do produtor com potencial de exportação e do exportador interessado em ampliar suas vendas externas, a busca por tais ganhos deve estar concentrada em cinco áreas de gestão de processos de produção e exportação:

  1. produtiva;
  2. de comércio exterior;
  3. de logística;
  4. financeira e
  5. tributária e contábil.

Questões relacionadas às operações logísticas 24 horas, fortemente relacionadas a ganhos de produtividade, tendo em vista o possível cenário de crescimento da demanda por serviços de transporte e movimentação de cargas de comércio internacional em ritmo maior do que o do aumento da oferta dos mesmos nos próximos anos, sobretudo em contêineres na área de influência do Porto de Santos , recebem especial atenção do EXPORTA, SÃO PAULO.

Cabe, ainda, destacar o enorme potencial de ganhos de competitividade nas áreas de inovação e sustentabilidade, a serem focadas pelo Projeto.

Copyright © ConTrader Comércio Exterior. Todos os direitos reservados 2016-2017